Organizze – Assuma o controle do seu dinheiro!

Capture

Olá pessoal!

Quem nunca se endividou por aqui? Recebeu um salário e quando foi ver…. Cadê? Sumiu! Pra onde é que esse dinheiro foi?

Hoje eu lhes apresento: o Organizze!

Untitled-1
Organizze – Google Play

 

O Organizze nada mais é do que uma plataforma, aonde você pode inserir os seus gastos diários e descobrir aonde seu dinheiro está sendo “investido”. O site conta com um painel de gerenciamento completo com gráficos, anotações e dicas sobre dinheiro. Sendo que tudo isso, você também pode ter no seu celular. Basta fazer o download da versão para Android ou iOS!

Ah! Uma dica: todos os gastos lançados no seu celular são sincronizados com o site e vice-versa, portanto não deixe para lançar tudo no final da semana ou do mês, que ai com certeza você terá muito trabalho a fazer, e será difícil de se lembrar aonde foram feitos os pagamentos.

É fato que uma das maiores dicas para se economizar dinheiro é sabendo aonde ele está sendo gasto. E é por isso que eu recomendo o Organizze. É muito simples, fácil e você saberá exatamente aonde seu dinheiro foi parar, podendo se planejar melhor e até fazer aquela economia para viajar no final do ano ou fazer com que a mesada sobre até o fim do mês. hahaha 😉

Portanto, não percam tempo e baixem já a versão para o seu celular/tablet e não deixem de conferir o site do pessoal do Organizze! :)


button-get-it-on-google-play
app_store_icon

 

 

E já conheciam o Organizze? Gostaram da dica? Comentem!

Moda: O novo New Have – Moda antiga com contemporaneidade!

Oi Gente! Tudo bem?

Semana passada recebi um e-mail super bacana com infográfico bem legal do pessoal da Farfetch sobre o estilo New Wave. Pra quem não sabe o New Wave é um gênero musical que surgiu no fim da década de 70 e começo dos anos 80, onde teve bastante influência aos adeptos do punk/rock musical e também no mundo da moda. Esses grupos musicais influenciaram bastante o figurino da época com os cortes de cabelos ousados, as roupas coloridas e também as jaquetas de couro.

Este infográfico mostra o que está voltando à cena novamente, com um toque de contemporaneidade. Essas tendências que foram separadas aqui, pelo pessoal da Farfetch, ainda não estão nas ruas e nas vitrines, mas são tendências que estão sendo vistas aos poucos na cena underground, ou seja, fora dos padrões comerciais e modismo das mídias, diversos influenciadores de moda estão usando e apostando nesse estilo!

Eu particularmente acho várias destas tendências demonstradas aqui, bem interessantes e com certeza usaria alguma delas:

Infográfico – Farfetch

 

O infográfico e as informações foi enviado pela Dani do e-commerce Farfetch, você pode saber mais a respeito no site: www.farfech.com/br/

 

Dentre as indicações acima gosto muito do Minimalista e do Pop Art. E você qual achou mais a sua cara? Conta pra gente 😉

 

Playlist para curtir com os amigos!

Imagem: We Heart It
Imagem: We Heart It

Oi Pessoal tudo bem?

Bom, já faz um tempinho que a gente não faz um post sobre playlists aqui no blog néh? Agora essa tag estava sendo atualizada pelo Igor, mas eu fiquei com saudade de mostrar a vocês minhas músicas e bandas preferidas, aliás pra quem quer saber mais sobre os textos dele é só entrar aqui.

Resolvi voltar a fazer a nossa tag: Favoritas da semana. Quem aqui lembra dela?? Pra quem ainda não sabe, essa é um tag na qual eu divulgo as músicas favoritas, e cada uma depende de um momento, por exemplo, as vezes divulgo as músicas que estou escutando atualmente, as vezes faço algumas playlists especificas, etc. Mas sempre peço para vocês, novas indicações ou sugestões para atualizar essa tag e até fazer uma playlist dos leitores!

 

A listinha dessa vez, é para aqueles que gostam de se divertir muito com os amigos. Separei apenas alguns sons, mas mesmo assim espero que gostem, você pode curtir em turma ou só com os best . O que vale mesmo é curtir, então, dá o play:

 

Espero que gostem. Bjos! 😉

Você consegue ficar sem seu celular?

Gif - celular

Você acorda. Está um pouco grogue de ficar tantas horas na cama, e a primeira coisa que faz é pegar aquela preciosidade reluzente. Você clica em alguns lugares da tela e pronto, já está de volta ao mundo virtual. Vai para o chuveiro, e ao ouvir uma notificação, pega o aparelho mesmo que esteja com as mãos encharcadas e cheias de espuma. Almoça com o celular do lado, e que as pessoas respeitem sua escolha de ficar com esse ser inanimado. Quando está no trânsito, de saco cheio da fila, clica no botãozinho desesperadamente para destravar o aparelho, afinal no sinal vermelho não há problema em dar aquela espiadela. A bateria apita, o ser diz: “Até Logo” e você cai em prantos porque agora está só.

Se você se identificou com esse drama narrado, é melhor tomar cuidado!


A geração atual pode estar sofrendo ou caminhando para um comportamento chamado FoMO – Fear of Missing Out. Em uma tradução livre significa medo de perder algo, esse termo é geralmente utilizado para as pessoas que possuem medo de ficarem de fora das redes.

Não é uma síndrome e nem uma doença, e sim o estudo de um comportamento cada vez mais frequente na geração dos smartphones, tablets, celulares e etc. A internet móvel é sua principal causa, já que é ela nos acompanha todo o tempo, e simplesmente somos atualizados de minuto a minuto com tudo que está acontecendo no mundo. Quem resistiria a tanta informação?

Ano passado a equipe do Fantástico (sabe, aquele programa de domingo a noite da rede Globo) fez uma reportagem sobre uma pesquisa inédita sobre o comportamento dos jovens brasileiros de 18 a 25 anos com os celulares.

reportagem - comportamento - celulares - jovens(Reportagem)

Segundo os estudiosos, é fácil identificar as pessoas que estão sofrendo com esse comportamento devido a ansiedade e impossibilidade de desligarem os aparelhos até mesmo quando é necessário. E isso não é muito difícil de notar. Preste atenção na sua roda de amigos, as pessoas que estão presas em conversas online, ou até mesmo na academia, geralmente há uma pessoa andando super devagar só pela necessidade de mexer no celular.

Parece apenas uma brincadeira, mas sim, há consequências e prejuízos, começando pelo mais óbvio: negligência com o cotidiano.  Você adia tarefas, não presta atenção no que está fazendo, acaba perdendo muito tempo por atualizar as redes que utiliza ou por responder mensagens. Sim, as redes sociais tão inocentes são utilizadas por nós como escapatórias das obrigações pouco prazerosas, mas necessárias.

Outra área bastante afetada é a capacidade de se relacionar e se colocar no lugar do outro. Chamado de inteligência emocional, nós nos afastamos das pessoas reais e perdemos a capacidade de nos conectarmos ou até sensibilizarmos com as emoções alheias.

Por adotarmos um padrão de raciocínio chamado de “saltitante”, a parte de desenvolvimento cognitivo também pode ser prejudicada. Quando estamos imersos ao mundo virtual é exigido de nosso cérebro uma operação mental diferente, mais rápida e técnica.

As hashtags são um bom exemplo, já que muitas vezes ao postarmos alguma foto ou compartilhamos notícias não escrevemos frases e sim #com #palavras-chaves #simples #prático. Essas atitudes podem vir a dificultar o interesse por temas e atividades que sejam mais complexos, ou seja, prestar atenção nas aulas e escrever trabalhos com 25 linhas pode se tornar altamente desgastante.


Pergunte-se

– Estou produzindo menos por causa do meu celular? Meu desempenho na escola ou no trabalho está sendo afetado? Estou recendo reclamações de amigos e familiares por causa do uso inadequado da tecnologia?

– Estou procrastinando meus planos e projetos pessoais? Vou empurrando com a barriga até o último prazo?

– Fico angustiado ao ficar sem acesso a internet?

– Meu relacionamento com meu smartphone, computador, ou tudo que me liga ao mundo virtual tem comprometido meu relacionamento com as pessoas que estão ao meu redor? Deixo de fazer sair com meus amigos ou participar de conversas em grupo pela necessidade de estar conectado?


Sim para a maioria ou todas as opções? Então mude!

– Coloque limites ao uso da internet! Se precisar desligue o aparelho. Não coloque créditos. Guarde o aparelho em outro cômodo.

– Quando sair com seus amigos ou familiares não deixe seu celular a vista. Assim você não perceberá se há ou não mensagens e assim pode ter uma conversa de verdade com as pessoas que estão ao seu lado.

– Hoje há aplicativo que ajudam você há controlar o tempo que gastou nas redes sociais mapeando o uso do celular e analisando seu comportamento. (Conheça alguns Apps)

~♥~

Busque por equilíbrio. Ninguém quer proibir o uso de nada, nem mesmo os especialistas são contra a tecnologia, no entanto, é importante ter em mente que existe hora pra tudo e que não porque a internet proporciona imediatismo que precisamos utilizá-la o tempo todo.

Brindando a si mesma.

superthumb

Ela separou todos os ingredientes em uma mesa. Analisou um por um para ver se não se esqueceu de nada. Não era tão simples assim fazer aquela receita, porém ela já a havia feito inúmeras vezes, tantas que até perdeu a conta. Ficou ali imaginando quando é que iria inventar uma alguma coisa nova. Uma que pelo menos fizesse sentido. Mas ela ainda não sabia.

Analisou mais uma vez os pensamentos, colou as tristezas e as dores juntas em um lugar. Depois percorreu pelas lembranças, essas sim haviam muita para acrescentar. Verificou seus defeitos um a um novamente, e depois os juntou com os seus erros. Haa, os seus erros… Essa era parte que ela menos gostava em si. Pois por causa deles surgiram as cicatrizes, aquelas que ela mantém em segredo, mas que todo mundo sabe. Eles sempre sabem de alguma coisa. Ela é sua fonte de força, mas também sua maior fraqueza. E ela odeia parecer frágil pra alguém.

Bateu tudo junto com as lágrimas que guardou enquanto chorava pelos cantos em dias tristes e de chuva. Misturou as opções que tinha e que não deu em nada, até que virasse aquele liquido escuro intragável. Então tomou tudo em um gole só. Assim, rápido e diretamente. Sem sentir o cheiro, mas com a sensação do gosto, riscando a garganta, invadindo o corpo até o começo do estômago. Igual a remédio ruim e bio-Tonico Fontoura que a gente toma pra ficar mais saudável e forte. Só que ela não estava doente, só precisava ficar forte.

Reuniu as forças. Colocou o copo na pia. Arrumou a bagunça que fez com o coração e com a vida. Se encarou no espelho para ver se a aparência já estava melhor, talvez estivesse, ainda era a mesma pessoa sem graça de sempre.

Saiu da zona de conforto e foi viver a vida, não tinha mais o que perder, mas descobriu o que ainda podia ganhar.

Ela mesma.